Bem vindo!

Bem vindo!

INSTAGRAM



Instagram

Seguidores

E a nossa luz se fez presente...

Posted by: Juℓi Ribeiro in ,




E a nossa luz se fez presente...

No meu beijo coloquei um punhado de estrelas e tua pele se iluminou...
Mergulhei na luz de teus olhos e me derramei na ternura imensa de nós dois.
Nossos desejos voaram nas asas de borboletas azuis e me entreguei serena ao vento.
Fui levada pelos caminhos dourados dos nossos sonhos.
Era tanta felicidade que os girassóis dançavam e a natureza sorria...
Fiquei tonta, mas teus braços me apararam com um abraço forte e meigo.
O País das lagrimas parecia distante...
Escutei o som que vem de dentro dos sentimentos para os quais não existem palavras.
Percebi que só havia um caminho, o caminho que me leva até você...
Na doçura deste momento, sua mão viajou nos meus cabelos e eu esqueci todas as dores.
Teu sorriso nasceu de novo, imenso. Iluminando minha alma.
Percebi que ele era o reflexo de nossa felicidade.
Era a nossa luz , nas asas das borboletas azuis ...

Juli Ribeiro

Prosa poética publicada no Recanto das Letras em 29/05/2008Código do texto: T1010503
Esta obra está licenciada sob uma
Licença Creative Commons.
Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito
ao autor original (Juli Ribeiro. http://www.recantodasletras.com.br/autores/juliribeiro).
Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Você não pode criar obras derivadas.

25 de maio "Dia internacional das crianças desaparecidas"

Posted by: Juℓi Ribeiro in ,



















Soneto da criança desaparecida

Procuras um colo na escuridão,
Sonhas com o calor de um abraço.
A saudade mora em teu coração.
Preenchendo todo o espaço...

Esperam-te: teus pais, teu irmão.
Não foram vencidos pelo cansaço.
Procuram-te tristonhos na multidão.
Não se romperam todos os laços.

Suas almas se unem em uma prece!
Que conforta acalentando a esperança
Neste momento a dor desaparece.

É o filho amado, nosso amor te aquece.
Inocente em sua ternura de criança,
Sonha com tua mãe e adormece...

Juli Ribeiro

Publicado no Recanto das Letras em 21/05/2008Código do texto: T998851
Esta obra está licenciada sob uma
Licença Creative Commons.
Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito
ao autor original (Juli Ribeiro. http://www.recantodasletras.com.br/autores/juliribeiro).
Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Você não pode criar obras derivadas.

AS ASAS DA BORBOLETA PRATEADA

Posted by: Juℓi Ribeiro in ,














AS ASAS DA BORBOLETA PRATEADA

A esperança chegou, maravilhosa e pura.
Acordando os sonhos doces na madrugada.
Eu já estava à dura solidão acostumada.
Uma lágrima feliz rolou na noite escura...

Como enxergar, portanto, a dor e amargura?
A paz coloriu as asas da borboleta prateada.
Invadindo docemente minha alma cansada.
Em suave encantamento e imensa ternura.

No vai e vem das ondas de carinho constante,
Procuro e me encontro nos teus braços.
Minha poesia são os teus olhos cor de diamante.

A flor da felicidade desabrocha neste instante.
Somos um jardim de risos, beijos e abraços.
Ao teu lado todo dia é primavera radiante...

Juli Ribeiro

Publicado no Recanto das Letras em 14/05/2008Código do texto: T989439
Esta obra está licenciada sob uma
Licença Creative Commons.
Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito
ao autor original (Juli Ribeiro. http://www.recantodasletras.com.br/autores/juliribeiro).
Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

DIA DAS MÃES SÃO TODOS OS DIAS...

Posted by: Juℓi Ribeiro in ,

Image Hosted by ImageShack.us

"Deus" não podia estar em todas as partes
ao mesmo tempo e por isso criou às mães...
FELIZ DIA DAS MÃES!

Minha Mãe"

"Lembro-te, Mãe, revendo a nossa casa...
O pequeno jardim, o poço, a horta...
O vento brando que transpunha a porta,
Afagando o fogão de lenha em brasa...
Esfregavas a roupa na bacia...
Eu ficava na rede, aos teus desvelos...
Depois, vinhas beijando-me os cabelos,
A embalar-me, cantando de alegria.
Dorme, dorme, prenda minha,
Dorme agora, meu amor,
És a jóia que eu não tinha,
Prenda minha, minha flor!...
Lá no Céu tem três estrelas, prenda minha,
Todas são de prata e luz...
Lá do Céu você me veio, prenda minha,
Por presente de Jesus!...
E lá se foi o tempo, ante as mudanças...
Cresci, fiquei rebelde...
Estradas novas...
Entrei no mundo grande, em grandes provas,
Carregando saudades e esperanças...
Hoje, volto a rever-te, mãe querida!...
Quero dizer-te, em minha gratidão,
Que és o amor sempre amor em minha vida,
E a própria vida de meu coração."

“Dádivas de Amor”
– Francisco Cândido Xavier/ Maria Dolores

FEEDJIT Live Traffic Feed

Buttons - Parceiros



BlogBlogs.Com.Br Poem Blogs -  Blog Catalog Blog Directory Assinar com Bloglines
blog search directory Blogarama - The Blog Directory Site Meter Add to any service